Saúde do bolso: Aproveite a virada do ano para repensar sua relação com o dinheiro

1.303 views
Saúde do bolso
Saúde do bolso

A 29Horas – Revista do aeroporto de Congonhas – em sua publicação mensal fez uma reportagem apontando que a saúde do bolso é tão importante quanto a do corpo e a da mente também.

Capa Revista 29Horas
Capa Revista 29Horas

A revista em sua matéria contou com entrevistas de especialistas e montou um “check-list para entrar o ano novo com tudo em cima”.

Veja aqui a matéria: “Tudo azul”.

 

Planejamento Financeiro

Dei minha contribuição mostrando que é necessário identificar quais são seus objetivos de curto, médio e longo prazos e a partir disso, fazer um planejamento financeiro para conseguir alcançá-los.

É importante anotar todas as receitas e despesas, mas também é preciso analisá-las: cortar os desperdícios (academia que paga e não frequenta, por exemplo), colocar limites para os supérfluos (gastos em restaurantes ou presentes) e economizar nas necessidades básicas (apagar a luz, procurar descontos nos supermercados).

O planejamento financeiro vai fazer toda a diferença na sua vida financeira. As escolhas entre gastar e poupar deverão ser pautadas por este planejamento. O seu patrimônio e sua independência financeira no futuro serão a consequência destas escolhas durante toda a vida.

 

Poupança

É importante aprender a distinguir a diferença entre necessidades e desejos. Quando temos disciplina e planejamento, é possível poupar e criar uma reserva financeira.

A reserva de emergências deve estar aplicada em produtos conservadores (com pouco risco) e com boa liquidez (ou seja, que sejam transformados em dinheiro rapidamente e sem perda de valor). Portanto, as opções são a própria poupança, fundos DI e CDB DI. O títulos do Tesouro LFT são também conservadores, porém só é possível efetuar as vendas destes títulos nas quartas feiras, o que compromete um pouco a liquidez deste investimento.

 

Ações/Investimentos

No mínimo, deveríamos separar 10% de nossa renda para investir, porém, em alguns momentos será necessário um percentual maior do que este para garantir uma aposentadoria tranquila.

Na maioria das vezes, os investimentos mais acessíveis não são as melhores escolhas. Por serem mais acessíveis, devem ser mais simples, com menos risco e portanto com menores rentabilidades. Estes investimentos são recomendados para a reserva de emergências. Porém, se a reserva financeira for para o longo prazo, é importante pensar em uma carteira diversificada, agregando produtos com um pouco mais de risco à reserva de emergências, como os títulos atrelados à inflação (NTN-Bs) e ações. É claro que o percentual de cada classe de ativos na carteira do investidor vai depender de seu perfil de risco.

 

Endividamento

Utilizar o cheque especial e o rotativo do cartão de crédito como complementos de renda são o principal erro que as pessoas cometem e que, consequentemente, acabam levando ao endividando. Essas pessoas gastam todo o seu salário e também o limite do cheque especial e do cartão de crédito, levando-as à uma dívida que vai crescendo igual a uma bola de neve.

É importante conseguir viver de acordo com suas possibilidades e não num padrão superior à sua renda.

Anotando todos os seus gastos em uma planilha será possível analisar pra onde está indo o seu dinheiro e se planejar melhor evitando gastar mais do que a sua renda. Existem alguns truques que ajudam, como deixar o cartão de crédito em casa quando for ao shopping. Assim, evita-se as compras por impulso.

 

Um ótimo 2015 com muita saúde (financeira) a todos! Planeje-se, tenha disciplina e cuide da saúde do bolso também.

 

Imagem cortesia de marcolm em FreeDigitalPhotos.net