Reserva de emergências: melhor tê-la.

1.162 views
Reserva de emergência: melhor tê-la
Reserva de emergência: melhor tê-la

Estar em equilíbrio financeiro é muito importante para suas finanças. Mas, além deste equilíbrio, também é preciso ter uma reserva de emergências. Caso contrário, basta um imprevisto e tudo pode ir por água abaixo.

Portanto, este fundo de reserva deveria ser seu primeiro objetivo de investimento de curto prazo! Você não deveria pensar em outros investimentos, principalmente os com mais risco, antes de ter garantida a reserva de emergências.

 

  • Evitando se endividar por causa de imprevistos

Esse é o caso da maioria dos endividados circunstanciais:

Tudo estava tranquilo e mesmo com um orçamento apertado, costumavam estar com as contas em dia. Porém, um problema de saúde ou a perda de emprego, por exemplo, os fizeram entrar no vermelho.

Nunca sabemos o que pode acontecer, mas que sabemos que alguma coisa pode dar errado, isso sabemos. E por isso, precisamos nos prevenir!

É necessário ter uma reserva de emergências para estar preparado para os imprevistos. Desta forma, você estará minimizando o risco de um evento inesperado causar um grande descontrole nas suas finanças.

Para quem é um profissional liberal ou empreendedor e que não possui uma renda certa, sempre sujeito à altos e baixos na sua receita, a reserva de emergências se faz ainda mais necessária. Ela é muito importante para fazer frente aos gastos correntes nos momentos de vacas magras. Lembrando que na época de vacas gordas, é preciso recompor a reserva de forma que ela volte ao patamar predefinido inicialmente.

 

  • Liberdade de escolha

O tempo da escravidão já passou, mas sabia que ainda tem muita gente que é escrava de seu trabalho? A pessoa tem que pagar a prestação do carro novo, o financiamento do imóvel próprio, o colégio das crianças e, mesmo estando infeliz naquela empresa ou posição, acaba ficando refém do seu trabalho por não ter uma reserva de emergências.

Gosto muito de pensar na reserva de emergências como uma possibilidade de ter liberdade de escolha. Se estou insatisfeito com meu trabalho, posso me dar ao luxo de sair daquele emprego e ter um tempo para encontrar algo que me deixe mais realizado.

Mas, esta reserva nem sempre precisa ser utilizada em imprevistos ruins, ela também pode ajudar em situações boas: tenho uma oportunidade de viajar, posso ir tranquilo, pois minha reserva cobrirá todas as minhas despesas.

 

  • A Reserva de Emergências

A melhor forma de se prevenir é poupar todo mês um pouco e procurar juntar, no mínimo, seis vezes seus gastos mensais em uma reserva de emergências.

Acredito que esta regra possa ser aplicada na maioria dos casos, porém, se um dos cônjuges é funcionário público, por exemplo, este valor poderia ser menor, e no caso de um casal com filhos, ambos trabalhando na iniciativa privada, este montante provavelmente precisaria ser maior. Para quem tem filhos, por exemplo, sugiro que a reserva de emergência seja equivalente a pelo menos 12 meses de gastos.

Mas, é claro que depende de cada situação, da empregabilidade de cada um, do tamanho do passivo etc.

Os recursos desta reserva deverão ser aplicados em produtos conservadores (de baixo risco) e com boa liquidez (ou seja, que possam ser transformados em dinheiro rapidamente sem perda significativa de valor).

Este montante poderá ser investido em uma poupança, CDB DI com liquidez diária ou Fundo DI, neste último caso, sempre procurando as menores taxas de administração.

É importante lembrar que para o caso de aplicações na poupança ou em CDB, há a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) de até R$ 250 mil por CPF em uma mesma instituição. Sendo assim, para aplicações em valores maiores do que R$ 250 mil, o recomendável é que seja feita uma diversificação em várias instituições financeiras. Veja mais aqui sobre o Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

E depois que você já tiver conseguido poupar o suficiente para sua reserva de emergências, você poderá começar a diversificar seu portfólio, sempre investindo de acordo com seu perfil de risco e horizonte de investimento. Mas isto é assunto para outro artigo.

 

Imagem cortesia de Stuart Miles em FreeDigitalPhotos.net

  • Anderson Montenegro

    Vamos supor que minha reserva de emergencia que tenho que constituir seja de 12.000 reais. Tenho disponibilidade de poupar 800,00 reais. É aconselhavel juntar os 12.000 na poupanca e depois aplica-lo no TD ou fazer aplicacoes mensais de 800,00 no TD. Digo isso pois tem o TED que na media fica em torno de 8,00. O que vc aconselha nesse caso?

    • LeticiaCamargoPlanFinanceiro

      Olá Andreson, sugiro que você aplique mensalmente no TD. Mas, deixe um pouco na poupança, para caso precisar com urgência, já que o TD costuma liberar o dinheiro no dia seguionte. Procure uma corretora que não cobre tx de custódia e que tenha conta no mesmo banco que o seu e deta forma, vc não terá o custo da TED. Abs e bons investimentos.

  • Anderson Montenegro

    Quando custa em media a hora do serviço de planejador financeiro. Digo isso pois pretendo me planejar para contratar um no futuro proximo

    • LeticiaCamargoPlanFinanceiro

      Oi, Anderson, não existe nenhuma estatística que eu conheça sobre o valor médio da hora de um planejador financeiro, varia muito de caso a caso, como acontece com os médicos que não trabalham com planos de saúde, por exemplo. Mas, que bom que está querendo contratar os serviços de um planejador. Estou à disposição quando cheqar o seu momento. Abs.