Planejamento Financeiro: para quem é indicado?

332 views

Afinal, quem deveria fazer um planejamento financeiro? Esta foi a pergunta que me fizeram ao final de uma palestra recente que ministrei sobre investimentos.

No limite, acredito que todo mundo deveria fazer um planejamento financeiro e foi isso que eu expliquei em um artigo que publiquei este mês para a Revista em Condomínios (clique aqui para acessar).

Como citei na Revista: “para aqueles que hoje recebem uma renda mensal acima do teto do INSS (atualmente em R$ 5.645,80) e que não pretendem diminuir seu padrão de vida quando se aposentarem, o planejamento se torna ainda mais importante. Estas pessoas terão que se planejar e poupar recursos, enquanto estão na ativa, porque somente assim poderão usufruir deles quando se aposentarem, para que complementem a renda da aposentadoria do Governo”.

Vamos aos motivos…

 

01) O planejamento financeiro pode representar um atalho para a realização dos seus sonhos.

Desde 2011, quando comecei a atuar como planejadora financeira CFP®, tenho percebido que aprender a cuidar das finanças pode, realmente, transformar a vida de uma pessoa e até de uma família inteira.

Nesse tempo, venho acompanhando centenas de pessoas que conseguiram conquistar sonhos e reverter situações de elevado endividamento, tudo graças ao planejamento financeiro.

Isso ocorre porque o planejamento permite a avaliação de alternativas, além de traçar um caminho a ser seguido entre o ponto em que a sua vida está hoje até aonde você deseja chegar no futuro. E ainda conta com a vantagem de reduzir os riscos que encontrará pelo caminho.

 

02) A sua saúde física passa pela sua saúde financeira, que estará muito mais sólida se você fizer um planejamento financeiro.

Isso não é novidade para ninguém! Preocupações financeiras como dívidas e a perda de um emprego, causam transtornos na vida de qualquer um. Esses transtornos muitas vezes são a causa ou a porta de entrada para diversas doenças físicas e psicológicas.

De forma ainda mais direta, é preciso lembrar que a saúde financeira também afeta diretamente a qualidade de vida de uma pessoa ou de uma família inteira. Ela é determinante, por exemplo, para definir se uma pessoa terá acesso ou não a bens de consumo e serviços diferenciados, como é o caso de remédios e planos de saúde. Do contrário, terminará dependendo do serviço público de saúde, cuja qualidade no Brasil é sabidamente lamentável.

 

03) Seus relacionamentos e até o seu casamento podem ser mais tranquilos se tudo estiver bem financeiramente.

Muitos casais já tiveram discussões por conta de divergências entre como cada um se relaciona com o dinheiro. Isso é mais comum do que se imagina, mas algumas pequenas diferenças podem se transformar em grandes problemas se a saúde financeira da família estiver abalada.

O planejamento financeiro previne discussões, porque deixa bem alinhados os objetivos coletivos da família. Como se não bastasse, ele também mitiga riscos e pode evitar as piores situações, como é o caso do endividamento.

 

Planejamento financeiro é coisa de rico?

Mas será que somente pessoas ricas podem fazer um planejamento financeiro? Este é um mito que precisa ser desconstruído! Como eu revelei no artigo da Revista em Condomínios, ao contrário do que muita gente acredita, não se trata de um processo só para as famílias mais abastadas. Sempre podemos aprender a cuidar melhor das finanças; a tomar cuidado com o risco que corremos; a pagar menos impostos, taxas e custos em investimentos; a entender para onde o dinheiro está indo; a se preparar para a longevidade e para a sucessão. Em resumo, todos nós deveríamos nos preocupar em nos planejar financeiramente, buscando orientações e educação para saber lidar com o dinheiro.

 

E então… Preparado para se planejar financeiramente? Conte comigo! Meu email é leticia@leticiacamargo.com.br