Investimentos: risco de fraude!

90 views

Ontem foi publicada a minha resposta ao leitor no Valor Econômico… Dessa vez, o assinante queria entender melhor como funcionam as fraudes financeiras. A preocupação dele era justamente evitar cair em uma armadilha!

Clique aqui para acessar a íntegra do texto publicado, ou clique no botão a seguir, se preferir.

Finanças Pessoais

No texto, expliquei que o princípio básico é: se é muito boa, desconfie! Sim, devemos desconfiar daquelas ofertas tentadoras, que oferecem retornos muito acima do mercado e em um curtíssimo espaço de tempo.

De igual modo, também desconfie se você tiver que levar amigos para investir junto e, principalmente, se você se tiver que enviar recursos para a conta corrente do próprio vendedor.

Ofertas fraudulentas também abusam do uso de gatilhos mentais conhecidos do marketing como a escassez e a urgência, em que você tem que decidir logo, porque está acabando ou o prazo vai se encerrar (“compre agora” ou “invista o quanto antes”). O objetivo dessas estratégias é justamente evitar que você pense no que está fazendo, porque se pensar um pouco mais e pesquisar antes, provavelmente não cairá no golpe.

No texto, salientei que investimentos devem ser efetuados por meio de produtos regulados e de instituições financeiras idôneas que façam parte do mercado formal de investimentos. Para ter maior grau de certeza dessa idoneidade, sempre oriento meus alunos, clientes e leitores a pesquisar no site da CVM se a empresa é registrada, se há informações sobre o profissional e sobre o produto. Não dê nenhum passo definitivo sem cumprir essas etapas.

Como eu ressaltei e não custa repetir, promessas de altos retornos em pouco tempo são fraudes, não existe ganho rápido e consistente. Não existe investimento financeiro que vá deixar alguém rico de um dia para o outro. Se esta for a promessa, fuja ou então você vai correr o risco de ficar sem dinheiro nenhum.

Por outro lado, como eu expliquei no texto do Valor: “muitas vezes essa oferta de investimento nem é uma fraude em si, como é o caso do “day trade” (operação de compra e venda de um ativo no mesmo dia), cujo intuito é auferir altos ganhos em um curto período”. Como eu apontei, o problema é que “há vendedores de cursos de day trade que prometem soluções mágicas de ganhos certos com apenas algumas horas de aprendizado, como se essas operações fossem fáceis e apropriadas para qualquer pessoa”.

Portanto, fique sempre muito atento e seja cauteloso. Se for investir por conta própria, dedique-se e estude muito para saber o que está fazendo. Se for investir com ajuda profissional, sempre obtenha referências da empresa ou do especialista, e não se esqueça de checar o registro na CVM.

Bons investimentos!