Investimentos em Renda Fixa: os baixos rendimentos e o drama do rentista

280 views
Investimentos em Renda Fixa
Investimentos em Renda Fixa

De um modo geral, os investimentos em renda fixa e conservadores no Brasil atual já não são mais a mesma coisa. Já falamos isso por aqui algumas vezes!

O investidor conservador sempre esteve muito confortável aqui no país, pois tinha uma boa rentabilidade com baixo risco e liquidez imediata. Esse é o sonho de qualquer investidor.

Mas, agora, os baixos rendimentos na renda fixa conservadora são o drama do rentista! Inclusive, os juros reais foram negativos no ano passado, ou seja, a rentabilidade desses investimentos nem conseguiu acompanhar a inflação.

Este é um dos motivos que justifica o fato de a Bolsa aqui ter mantido, por muito tempo, apenas alguns investidores pessoa física. Foram em torno de 600 mil por muitos anos. Só depois que as taxas de juros começaram a cair é que essa quantidade de investidores foi aumentando na B3.

Porém, desde o final de 2019 esse aumento vem ganhando força e agora já são mais de 3 milhões de CPFs operando ações. É verdade que isso ainda é muito pouco, sobretudo quando lembramos que somos mais de 210 milhões de brasileiros.

 

Investimentos em Renda Fixa: risco x retorno

Para conseguir uma melhor rentabilidade e para não perder da inflação, é preciso tomar um pouco mais de risco, diversificando os investimentos. Isso foi o que falei na entrevista dada para o Infomoney, veja aqui a matéria completa.

Mas, o ideal é que esse movimento para mais risco seja efetuado aos poucos e sempre de acordo com os objetivos, perfil de risco e horizonte de investimento do investidor.

Digo isso porque investir aos poucos irá diluir o risco no tempo e também fará com que seja mais fácil perceber como você se sente frente ao risco tomado. Foi o que comentei na entrevista… É como entrar no mar: primeiro você sente a temperatura, depois dá o primeiro mergulho e vai entendendo como reage diante de um caldo ali no raso.

Também dei uma entrevista para a Rádio Gaúcha falando sobre como sair da poupança já que está rendendo tão pouco atualmente. Lembrando que a rentabilidade está baixa para a poupança nova, mas a poupança antiga, aquela aplicada até maio de 2012, está sendo um ótimo investimento atualmente. Veja esse outro artigo em que expliquei essa diferença entre a rentabilidade da poupança nova e da poupança antiga.

A estratégia é a mesma: vai investindo aos poucos para sentir como se sente em relação aos altos e baixos desses investimentos menos conservadores. E, como sempre, falei que o risco é não correr risco, pois você pode acabar perdendo seu poder de compra.

Reforço sempre o que venho sugerindo: primeiro deve-se montar a reserva de emergências para depois, com os recursos excedentes, começar a diversificar a carteira. Mas, para isso, é importante estudar sobre os investimentos ou procurar o auxílio de um profissional que te ajudará a diversificar a sua carteira.

 

Ao que tudo indica, o drama do rentista deve continuar e dificilmente o cenário voltará a ser como já foi um dia. Os investimentos em renda fixa seguem tendo o seu valor, mas quem desejar obter maiores retornos terá que tomar um pouco mais de risco.