É possível economizar para a aposentadoria, mesmo começando mais tarde

93 views

Há poucas semanas, escrevi um artigo sobre como se planejar para a aposentadoria mesmo depois dos 50 anos. O texto chamou a atenção da jornalista Giane Guerra, do programa “Acerto de Contas” da Rádio Gaúcha.

Ela me procurou para uma entrevista na semana passada, querendo saber mais detalhes de como isso seria possível. O assunto rendeu tanto que também inspirou um artigo dela na GaúchaZH (baixe o PDF da matéria aqui).

Vale a pena conferir o conteúdo tanto do áudio da entrevista quanto do artigo da Giane, pois fomos além do tema, respondendo a várias perguntas que podem tirar várias de suas dúvidas.

Ouça abaixo a entrevista na íntegra:

 

A seguir, vamos ver como isso seria possível por meio de uma simulação…

 

Começar a economizar para a aposentadoria

É verdade que, com as taxas de juros cada vez mais baixas, fica cada vez mais difícil usufruir do poder dos juros compostos. Além disso, esse efeito torna-se ainda menos proveitoso se o horizonte de tempo para se aposentar não for muito grande, como é o caso de pessoas que já passaram dos 50 anos.

Porém, mesmo assim, economizar para a aposentadoria continua sendo muito importante. Eu sempre friso que é melhor começar agora do que não começar nunca, porque os riscos de perda do padrão de vida são enormes para quem não se preparar para o futuro.

Mas, não pense que será fácil, não. Começar a se planejar para a aposentadoria aos 50 anos tem o seu preço: contribuições maiores e/ou por mais tempo.

 

Simulação para economizar para a aposentadoria começando mais tarde

A seguir, vou mostrar uma simulação que fiz a respeito, para que as pessoas possam ter uma ideia de quanto precisariam economizar mensalmente (esta simulação também foi publicada na matéria da Giane Guerra).

Imagine que uma pessoa tenha acabado de completar 50 anos e que deseje se aposentar aos 65 anos com uma renda final de 5 mil reais por mês, mas que a aposentadoria do INSS garanta apenas 3 mil reais por mês. O que fazer?

Vamos a um pequeno resumo das premissas para nossa simulação:

  • Idade atual: 50 anos.
  • Idade da aposentadoria: 65 anos.
  • Período de contribuição: 15 anos ou 180 meses.
  • Poupança inicial: não há.
  • Aposentadoria desejada: 5 mil reais por mês, sendo R$ 3.000 do INSS e R$ 2.000 de resgates dos investimentos próprios.
  • Expectativa de vida: 85 anos (20 anos de saques após a aposentadoria).
  • Taxa de juros reais: 3,16% ao ano.
  • Nesta simulação não foram considerados os impostos.

Para efeitos de cálculo de matemática financeira, vamos adotar como premissa a taxa de juros reais de 3,16% ao ano (juros do Tesouro IPCA 2035 em 12 de novembro, data em que foi efetuado o cálculo) e que, além disso, a pessoa até então não tenha conseguido poupar nenhuma reserva. Com isso, podemos concluir que ela teria que contribuir com aproximadamente R$ 1.550 por mês pelos próximos 15 anos (ou 180 meses) para conseguir a renda complementar de R$ 2.000 por mês até completar 85 anos.

A esta altura, é importante fazer algumas observações importantes…

No que se refere aos juros reais de 3,16% ao ano, é bom frisar que esta era a taxa do título Tesouro IPCA 2035 na data do cálculo e foi usada como estimativa, mas provavelmente a pessoa não vai conseguir rentabilizar seus recursos exatamente por essa taxa por todos esses anos. Foi apenas uma premissa.

Os cálculos da nossa simulação consideram uma expectativa de vida de 85 anos, ou seja, a pessoa poderia sacar os recursos poupados e investidos por 20 anos (dos 65 aos 85 anos) e os recursos findariam ao final desse período. Porém, essa é a expectativa de vida pelo IBGE para uma pessoa que tenha 65 anos, mas ela poderá viver por mais anos do que isso.

O valor de R$ 3 mil do recebimento do INSS foi apenas uma estimativa (um chute mesmo….), sem nenhum embasamento estatístico. E considerando que ainda podemos ter outras reformas da previdência até lá, esse valor pode variar bastante.

Por fim, percebemos que o desafio é grande em poupar uma parte relevante da renda por tantos anos até a aposentadoria, mas percebe-se que de outra forma, poderá ocorrer uma relevante perda de qualidade de vida ao se aposentar.

Portanto, se você tem 50 anos ou conhece alguém com esta idade ou próxima a ela, pense nisso e me ajude a levar estas informações ao maior número de pessoas compartilhando este artigo!