Previdência Privada: aderir a uma previdência não vai resolver todos os seus problemas

84 views
Previdência Privada aderir a uma previdência não vai resolver todos os seus problemas

Como assim, Leticia? Não estou entendendo! Não é você que sempre diz que a gente tem que começar a investir para garantir uma longevidade tranquila? E aderir a uma previdência privada não seria uma boa solução?

Pois é, já ouvi de algumas pessoas que, se elas começassem a contribuir para uma previdência, tudo ficaria ok. Mas, não é bem assim que funciona…

Não basta simplesmente aderir a uma previdência e achar que tudo estará resolvido! Se as contribuições e/ou a rentabilidade forem muito baixas, se o tempo for muito curto, se as taxas de administração e/ou de carregamento forem muito altas, se, se, se… Talvez essa previdência não seja suficiente para as suas necessidades futuras.

 

Previdência Privada: não existe mágica…

Outro dia, atendi uma cliente que estava iniciando seu planejamento financeiro e ela chegou mostrando qual seria o valor que receberia de renda se aportasse uma determinada quantia de recursos por tantos anos em uma previdência privada. Ela estava escolhendo a previdência de acordo com aquela que lhe pagasse o maior benefício lá na frente.

O que ela não sabia é que, na maioria dos casos para as previdências atuais, o valor do benefício vai depender não somente dos aportes que ela fizer, mas também da rentabilidade que aquele fundo de previdência terá durante o período de contribuição. E isso, ninguém consegue estimar com precisão!

Como se não bastasse, o valor também vai depender da tábua atuarial e das condições de atualização dos valores desses benefícios ao longo do tempo. Também é preciso considerar se tem alguma taxa de juros adicional, além da atualização pela inflação e se tem distribuição do excedente financeiro.

E é claro… De igual modo, é preciso levar em consideração se aquele plano dará a possibilidade de aposentadoria vitalícia, por exemplo.

Uma decisão mais completa também não pode desconsiderar a escolha entre PGBL e VGBL, e da tabela de tributação, se Progressiva ou Regressiva. Essas escolhas podem influenciar em muito o valor líquido que você irá receber no futuro. Para saber mais sobre algumas questões importantes na escolha da sua previdência privada, leia esse outro artigo aqui.

Portanto, é importante alertar que o valor que passaram para essa minha cliente era apenas uma estimativa de quanto ela iria receber lá na frente. Mas, como toda estimativa, não há nenhuma certeza quanto a este valor.

Inclusive, ela tem a possibilidade de mudar a data da aposentadoria se assim lhe convier e ficar mais tempo contribuindo, ou até cessar as contribuições e deixar para solicitar o benefício mais pra frente.

Ela também pode nem solicitar o benefício e ir resgatando aos poucos, quando precisar dos recursos. Leia aqui este texto que explica com mais detalhes todas as opções disponíveis para o recebimento do benefício.

E, pode até fazer a portabilidade para uma outra previdência que seja mais adequada às suas necessidades.

 

Como pode perceber, investir em uma previdência não é como um passe de mágica em que você terá um complemento ideal para a sua aposentadoria, simplesmente porque começou a contribuir.

O valor que você irá receber lá na frente, em forma de benefício, dependerá das quantias aportadas e da rentabilidade do fundo no período. Além da tábua atuarial daquele plano que você aderiu, as condições de atualização dos valores, como o índice de inflação e os juros adicionais, a possibilidade de distribuição dos excedentes financeiros e a tabela de tributação escolhida também farão diferença no valor a ser recebido.

 

O meu objetivo ao expor todos esses pontos aqui é mostrar que as coisas não são tão simples quanto parecem e previdência não é tudo igual. Mas, não fique preocupado se você não analisou todos esses pontos antes de escolher a sua previdência. É possível efetuar alguns ajustes tanto nos valores mensais a serem aportados, para garantir um valor maior de aposentadoria lá na frente, quanto na maior parte das outras características citadas acima.

Inclusive, se você ainda estiver em dúvida sobre algumas dessas escolhas, pode começar com o melhor que conseguir até o momento e depois efetuar esses ajustes ao longo do tempo. Mas, o importante é começar a poupar e investir!

Faça todas as perguntas que desejar e obtenha todas as informações que precisar. E, se mesmo assim, ainda não estiver confortável em decidir sozinho sobre todas essas escolhas, consulte um especialista para lhe auxiliar. Boas escolhas e bons investimentos!