Como pagar menos imposto de renda investindo em previdência privada

201 views
Como pagar menos imposto de renda investindo em previdência privada

Afinal, como pagar menos imposto de renda?

Todo fim de ano é a mesma coisa: aquela correria para comprar presentes, planejar a ceia e finalizar os últimos projetos profissionais. Além disso, tem uma coisa importante que muita gente se esquece, que é se organizar financeiramente para pagar menos imposto de renda na próxima declaração.

Sim, isso mesmo: PAGAR MENOS IMPOSTO DE RENDA ou ainda, ter uma restituição maior no ano seguinte.

Escute aqui a entrevista que dei para a Gaúcha ZH (minha entrevista começa em 4min30s) e leia aqui a matéria que a Giane Guerra publicou com a minha colaboração explicando como utilizar a previdência para reduzir a mordida do Leão!

 

Como pagar menos imposto de renda?

Para isso, você pode contribuir ainda em dezembro em um PGBL ou fundo de pensão com até 12% da sua renda tributável bruta para poder ter esse benefício fiscal.

Ah, se você já tiver feito algum aporte durante o ano, não se esqueça de deduzir esses valores já aportados do montante total que deveria aplicar na previdência privada agora no final do ano.

A renda bruta tributável são os salários, pró-labores, pensões, aluguéis, aposentadorias, por exemplo. Até mesmo para quem é profissional liberal ou autônomo e recebe diretamente de pessoa física, esse valor também é uma renda tributável.

Vale lembrar que, para chegar nessa base de cálculo, não deve ser considerado o 13º e nem o valor da PLR (participação nos lucros). Por outro lado, as férias e o 1/3 das férias são renda bruta tributável e podem entrar no cálculo da renda bruta tributável, aumentando assim a soma anual.

Uma sugestão para ter uma ideia de quais são esses rendimentos é dar uma olhada no seu último IR para ver quais foram e ter uma ordem de grandeza desse valor. Veja a seguir um exemplo:

Como funciona?

O valor aportado em um PGBL ou fundo de pensão será abatido da base de cálculo do seu imposto de renda na Declaração Anual junto com as outras despesas dedutíveis – como educação, saúde, dependentes, pensão judicial paga etc. Dessa forma, você poderá reduzir a “mordida do Leão”, pagando menos imposto de renda ou recebendo uma restituição maior.

Veja a seguir como ficam as deduções na Declaração de um contribuinte que tem recebimentos de trabalho assalariado e também recebe como profissional liberal:

Repare que, apesar de esse contribuinte ter tido quase R$ 142 mil em receitas tributáveis, a base de cálculo do imposto foi de pouco mais de R$ 94 mil.

Lembrando que se ele tivesse efetuado a declaração pelo modelo simplificado só teria direito à R$ 16.754,34 em deduções! Acesse esse outro texto em que explico mais sobre as diferenças entre a declaração completa e a simplificada.

 

Quem pode usufruir desse benefício fiscal e pagar menos imposto de renda?

Para ter direito ao benefício é preciso:

  1. ter tido renda tributável
  2. declarar o imposto de renda pela Declaração Completa e
  3. ser contribuinte do INSS/Regime Próprio ou ser beneficiário de um desses sistemas, via recebimento de aposentadoria ou pensão.

 

Resumo: como pagar menos imposto de renda

Em um resumo rápido, siga esses três passos para pagar menos importo de renda com o caminho que expliquei acima:

  1. Some todas as rendas brutas tributáveis que você teve no ano (base de cálculo);
  2. Em seguida, calcule 12% desse montante;
  3. Aporte esse valor calculado em uma previdência privada (PGBL ou fundo de pensão) de sua preferência. Mas, lembre-se de descontar desse valor o que você já tiver aportado durante o ano.

 

Fique atento ao prazo!

Fique atento ao prazo, pois não é recomendável deixar a aplicação para os últimos dias do mês, pois tem o perigo de haver algum atraso na efetivação do mesmo e ele se concluir apenas em janeiro do ano que vem! Se isso acontecer, a utilização do benefício fiscal já na próxima declaração estará inviabilizada.

Aliás, esse foi um dos temas que escrevi nessa semana para a minha coluna no site da Lu Lacerda, veja aqui!

E então… Você já fez o seu aporte na previdência privada em 2020 para ter direito ao benefício fiscal e pagar menos imposto de renda? Corre que ainda dá tempo!