6 Consequências do (Des)Equilíbrio Financeiro

184 views
Equilíbrio Financeiro

Como em tudo na vida, para toda ação tem uma reação! Isso não é diferente em nossas finanças…

Falei sobre este tema recentemente em um artigo publicado na coluna da Lu Lacerda, em que listei as reações adversas de uma vida financeira desequilibrada, mas também evidenciei o lado positivo do equilíbrio financeiro.

Vamos lá…

 

Consequências ruins do Desequilíbrio Financeiro

Começando pelas consequências ruins que o desequilíbrio financeiro traz, posso listar:

 

1 – Problemas Conjugais

Problemas financeiros costumam vir acompanhados de um vasto repertório de discussões e brigas entre familiares.

Quando tudo está bem e há abundância de dinheiro, tudo fica mais fácil, mas quando as visões de mundo e os comportamentos das pessoas são testados em um ambiente de escassez, dívidas e problemas com o dinheiro, as rusgas surgem por todos os lados, colocando o relacionamento à prova.

A vida conjugal costuma ser testada ao extremo nessas horas. Há incontáveis casos de divórcio, justamente ocasionados por problemas com as finanças do casal.

 

2 – Problemas de Saúde

Sim. Neste grupo residem os piores efeitos colaterais que uma pessoa pode vivenciar por conta de problemas na administração da sua vida financeira.

Os problemas aqui vão desde uma simples falta de sono, uma dor de cabeça ou dor de barriga, até gastrites, úlcera, alguns casos de problemas cardíacos e de câncer.

Tudo isso desencadeado por problemas gerados pela falta de grana.

 

3 – Queda de Produtividade

Uma coisa acaba puxando a outra e o que já era ruim pode piorar. Infelizmente, algumas pessoas, por conta da falta de equilíbrio financeiro, terminam perdendo seus empregos. E, se já era difícil pagar as contas antes, imagina desempregado?

Esse fenômeno é facilmente explicado: uma pessoa que vive em crise quando não está em equilíbrio financeiro terá diversos problemas esperados como perda de foco no trabalho, estresse, irritabilidade etc. Isso tudo facilmente leva a um processo de desgaste no ambiente de trabalho e a consequência, não rara, é a baixa produtividade e até a perda do emprego.

 

Consequências boas do Equilíbrio Financeiro

Ainda bem que existe o outro lado: as boas consequências de uma vida equilibrada! Para não dizer que também não falei do lado positivo para um cuidado atento com as finanças, vamos ver alguns desses efeitos:

 

1 – Liberdade financeira

Quem vive em equilíbrio tem um grau de independência financeira muito maior, senão total! Isso é sinônimo de mais oportunidades para fazer o que gosta, quando bem entender e não ficar preso naquilo que não faz sentido por falta de recursos financeiros.

A liberdade financeira permite que a pessoa voe mais e, com isso, alcance sonhos maiores.

Uma das consequências que vale a pena citar aqui é que pessoas desse grupo aprenderam a fazer o dinheiro economizado trabalhar por elas e não o contrário, que é trabalhar pelo dinheiro. Com isso, fica mais fácil alcançar seus objetivos pessoais.

 

2 – Oportunidade de trabalhar pelo seu propósito

Como eu disse no artigo publicado na coluna da Lu Lacerda, nada melhor do que acordar na segunda-feira e estar feliz em ter que trabalhar naquela semana. Poder se planejar financeiramente e estar preparado para trabalhar pelo seu propósito é maravilhoso.

Sabe aquele emprego chato? Aquela vida de escravo dos boletos a pagar, tendo que trabalhar numa empresa cujo propósito não combina com o seu? Pois é… Isso não funciona assim para quem está neste grupo. Essas pessoas, se dão o direito de trabalhar naquilo que importa para elas, pois não trabalham pelo dinheiro e, sim, pelo propósito!

 

3 – Longevidade tranquila

Por fim, mas não menos importante, é preciso sempre pensar no futuro… E quando falamos de futuro, falamos de longevidade.

Quem vive em equilíbrio financeiro aprende logo que precisa pensar no futuro, pensar em tranquilidade financeira onde não faltarão recursos para uma boa saúde, uma boa moradia e estar perto de quem se ama.

 

Essa breve lista acima já deu para dar clareza da importância de cuidar das suas finanças, certo? Então, a pergunta que não quer calar é: e então, de que lado você quer ficar? Escolha o seu lado de forma consciente e trabalhe pelo equilíbrio sempre. Compensa!