Educação financeira para as crianças no dia a dia

191 views

Há alguns dias, enquanto eu tomava um café, pude presenciar uma cena curiosa entre pai e filho: ele ensinava educação financeira para o menino em plena cafeteria…

Eles falavam em um tom um pouco mais alto e isso permitiu que eu “participasse” do diálogo:

– Pai, eu quero um vídeo game igual ao do meu amigo. – pediu o menino.

– Mas, filho, você tem que se contentar com o que tem, e não ficar querendo aquilo que não tem. Você deveria dar mais valor ao que já possui….

Para chamar a atenção do filho, o pai emendou:

– Você não tem uma mesada? O que você tem feito com ela?

– Eu gastei com balas, chocolate e hoje eu comprei um sanduíche. – respondeu o menino.

– Então… Se você guardar um pouco desse dinheiro todos os meses, poderá juntar uma quantia maior e comprar coisas mais caras, como o vídeo game que falou. Deixe-me lhe ensinar uma coisa…

Percebendo que havia conseguido a atenção do menino, o pai continuou:

– Quando uma pessoa começa a gastar o dinheiro que não possui para comprar coisas só para acompanhar os amigos, ela termina ficando endividada… E você não vai querer viver endividado, não é?

– Não, papai! De jeito nenhum! – respondeu o filho.

– Ótimo! Então, vamos dar mais valor aos brinquedos que você já possui e se importar menos com o que os seus coleguinhas têm. Você já tem muitos brinquedos. Assim que chegar em casa, a gente vai aproveitar para brincar juntos, tudo bem?

– Sim! Vamos logo para casa! – disse o menino, bem animado.

Tenho notado que muitos pais têm dado tudo de mão beijada para os seus filhos. Tais pais acabam deixando a garotada mal-acostumada com a ideia de que não precisam se esforçar para ganhar as coisas. Basta pedir para os pais e pronto: lá estará o brinquedo!

Este foi o assunto do texto que publiquei neste mês na Revista Em Condomínios (clique aqui para ler o artigo completo), pois o considero bastante emblemático para os dias de hoje.

Conforme escrevi no texto: “Temos que plantar para colher, e as conquistas não vêm de uma hora para a outra… Elas dependem de sacrifícios (abrir mão de uma bala), de planejamento (quanto economizar da mesada para poder comprar o determinado brinquedo) e disciplina (para resistir à bala e guardar o quanto foi planejado).”

Neste outro texto aqui do site, também explico como educar financeiramente suas crianças.

O que quero mostrar neste artigo é a importância de falarmos sobre educação financeira com as crianças desde pequenas, repassando nossos conhecimentos e experiências para elas. Mostrar também que podemos ensinar finanças para a garotada por meio de exemplos práticos e ações concretas do dia a dia. E que, por fim, não devemos nos abster dessa missão!