Gestão Empresarial: há males que vem para o bem

251 views

Em termos de gestão empresarial, os momentos de crise são importantes aliados para que as organizações possam se reorganizar e se tornar mais eficientes e preparadas para os próximos ciclos econômicos e para o mercado em geral.

É em momentos assim que são efetuados cortes de desperdícios e realizados esforços no sentido de aumentar a produtividade da organização. É também nesses períodos que o uso dos recursos e dos fatores de produção termina sendo necessariamente repensado, visando ganho de eficiência e maior grau de competitividade. Tudo isso com um único propósito imediato: sobreviver à crise.

Falando em crise, gestão empresarial e em melhoria de resultados, seguem algumas sugestões:

Ajuste nos gastos

Como os executivos do grupo 3G Capital (Jorge Paulo Lemann, Beto Sicupira e Marcel Telles) costumam repetir: gastos são como as unhas  e devem ser sempre cortados. Portanto, encare de frente os números de sua empresa! Verifique o que pode ser cortado e passe a lidar melhor com as finanças do seu negócio.

Analise o que pode ser melhorado. Pergunte coisas como: tenho como melhorar o CMV (custo da mercadoria vendida) de alguns produtos e minimizar as perdas? Consigo mudar alguns de meus fornecedores para outros com menores preços de custo? É possível melhorar o resultado operacional, eliminando custos fixos? Há espaço para o aumento das margens brutas?

Como você pode perceber, o controle dos gastos é uma premissa para toda a gestão empresarial!

Fluxo de caixa atualizado

Manter o fluxo de caixa sempre bem atualizado também é primordial para o bom andamento das finanças da empresa. É por meio dele que será possível saber se haverá recursos suficientes para a operação ou se haverá a necessidade de algum empréstimo ou aporte de capital em um determinado período.

Fazer e analisar o Fluxo de Caixa diário lhe ajudará a: prever um saldo de caixa negativo; saber quando tentar diminuir os gastos e/ou aumentar/antecipar as receitas; saber quando pedir empréstimos de curto prazo; em que momento investir os excessos de caixa; gerir o excesso ou a falta de caixa, de modo a evitar surpresas.

Além disso, o Fluxo de Caixa deve ser atualizado diariamente, já que sempre surgem
novas informações que devem ser incorporadas. Todos os dias é preciso conciliar os lançamentos no Fluxo de Caixa com todos os extratos bancários da empresa e com os lançamentos do controle do caixa em dinheiro.

Não distribuir todo o lucro

É muito importante ter uma reserva na empresa para conseguir passar pelos momentos ruins. Então, não distribua todo o lucro e evite ter que pagar os altos juros dos empréstimos! Aproveite os momentos das vacas gordas e mantenha em caixa uma parte dos resultados para que possam ser usados nos momentos das vacas magras!

A vantagem disso tudo é que: passada a crise, a empresa estará mais enxuta, mais produtiva e com menos desperdícios. Ela terá aprimorado a sua gestão empresarial nas suas múltiplas áreas (incluindo a financeira, evidentemente). Está aí a oportunidade de crescer, só que agora de uma forma mais saudável!