Leticia Camargo

Taxa Selic subindo: e agora?

Os juros básicos da economia (taxa Selic) chegaram a ficar em 2% até fevereiro de 2021, mas agora já atingem 7,75% aa. Eles estão num movimento de alta desde o início do ano, chegando à sexta alta consecutiva.

A alta dessa taxa impacta tanto aqueles que têm dinheiro investido, quanto os que estão endividados. Vamos conhecer alguns desses impactos.

Antes de começarmos, vale registrar que esse foi o assunto da entrevista que dei para o site TradeMap, e sobre o artigo que escrevi na minha coluna no site da Lu Lacerda dessa semana.

 

Endividados

Em relação aos endividados, se precisarem pegar novos empréstimos, somente conseguirão fazê-lo com juros mais altos, o que aumenta as parcelas e dificulta o pagamento. O mesmo raciocínio se aplica às renegociações de dívidas.

Por fim, vale lembrar também que alguns contratos de empréstimo, como o Pronampe, por exemplo, utilizam a taxa Selic como taxa de correção, o que quer dizer que esses empréstimos vigentes também ficarão mais caros.

 

Investidores

Para os que possuem investimentos mais conservadores, aqueles de renda fixa pós-fixada, atrelados à Taxa Selic ou ao CDI, como por exemplo o Tesouro Selic ou um CDB DI, o efeito da alta dos juros é positivo, pois seus rendimentos estão subindo mais agora. Até para quem investe na poupança está melhor agora, já que a poupança nova paga de rentabilidade 70% da taxa Selic mais a TR, que hoje está zerada.

Por outro lado, quem possui investimentos em renda-fixa prefixada (Tesouro Prefixado, por exemplo) ou híbrida (Tesouro IPCA, aquele que rende IPCA mais uma taxa de juros prefixada, por exemplo) deve estar amargando rendimentos negativos. Quando a taxa de juros aumenta, os preços desses títulos caem e vice-versa.

Se quiser saber mais sobre isso, leia esse outro artigo: “É possível perder dinheiro em renda fixa com o estresse do mercado?”.

Já os investimentos em ações também estão negativos no período pois, conforme escrevi no artigo da Lu Lacerda: “com juros mais altos, fica mais caro para as empresas pedirem dinheiro emprestado para investir em novas fábricas, novos equipamentos e etc. Então, dessa forma, elas crescem menos e passam a valer menos também. Por outro lado, com o aumento de juros, muitos investidores preferem sair do risco da renda variável e investir na renda fixa pós-fixada. E essa pressão de venda das ações ajuda a fazer seus preços caírem.”

 

Devo resgatar meus investimentos?

Diante desse cenário da Taxa Selic subindo, a pergunta que fica é: o que fazer nessa situação?

Se você investiu de acordo com os seus objetivos, perfil de risco e horizonte de investimentos, não há nada o que fazer, pois seus investimentos estão bem adequados às suas necessidades e características de investidor.

A questão é se você estiver incomodado com a rentabilidade dos seus investimentos. Então, nesse caso, é bem possível que esteja com uma carteira mais arriscada do que deveria. Isso normalmente gera bastante desconforto.

Nesse sentido, vale sempre reforçar que não adianta querer seguir a manada e investir naquela aplicação da moda, se ela não estiver adequada à pessoa, já que, quando vem a crise, ela acaba não conseguindo aguentar a volatilidade e resgata seus investimentos realizando o prejuízo.

Então, a sugestão agora é: vá aos poucos ajustando a sua carteira para que fique mais tranquilo em relação aos seus investimentos.

Outra iniciativa essencial é: estude sobre os investimentos ou procure um profissional para ajudá-lo a montar a sua carteira.

 

E então? Você está tranquilo ou incomodado com essas sucessivas altas na taxa Selic?

Exit mobile version