Leticia Camargo

Como pagar menos imposto para o Leão

Todo ano a mesma coisa… A gente trabalha, trabalha, trabalha, já não sobra quase nada do salário, e ainda tem que pagar uma parte para a Receita! Não tem jeito, temos que dividir com o nosso “sócio”. Como eu sempre costumo lembrar, só há duas coisas certas na vida: a primeira é a morte e a segunda é que vamos pagar imposto. Não tem como escapar, mas há como diminuir o tamanho da “mordida”. Assim sendo, a questão central aqui é: como pagar menos imposto para o Leão?

Independentemente de qualquer coisa, o caminho central sempre será o planejamento. Nada substitui um bom plano e isso se torna ainda mais preponderante quando estamos falando de tributação.

Digo isso, porque não adianta deixar para depois… É ainda nesse ano que a gente precisa se organizar para pagar menos imposto no ano que vem ou ter uma restituição mais parruda na próxima declaração!

Pensando nisso, vou sugerir a seguir 2 passos para te orientar e te ajudar a pagar menos imposto para o Leão…

 

2 Passos para pagar menos imposto para o Leão

Indo direto ao ponto…

Primeiro Passo – Como pagar menos imposto para o Leão: PGBL

A primeira orientação é efetuar um aporte de até 12% da sua renda tributável bruta em um PGBL. A renda tributável é aquela recebida de salário, aluguel, pensão ou aposentadoria, por exemplo. Lembrando que não entram na conta da renda nem o décimo terceiro e nem a PLR para quem é CLT.

Mas, para poder usufruir do benefício fiscal, é preciso declarar pelo modelo completo e ser contribuinte, pensionista ou aposentado do INSS ou do Regime Próprio.

Se você quiser saber mais sobre PGBL e previdência privada, sugiro que você leia também dois artigos adicionais aqui do site. É só clicar para acessar:

Como pagar menos imposto de renda investindo em previdência privada

Características da previdência privada: como escolher a sua

 

Segundo Passo – Como pagar menos imposto para o Leão: utilizar os prejuízos anteriores em fundos

Isso mesmo! Se você, no auge da crise do Coronavírus (ou mesmo depois disso) resgatou os seus investimentos em fundos com prejuízo, poderá aportar novamente em fundos da mesma classificação tributária (curto prazo, longo prazo ou renda variável) no mesmo administrador ou distribuidor do fundo resgatado.

Ao fazer isso, você poderá utilizar o prejuízo do ano passado para compensar eventuais lucros no futuro e pagar menos imposto de renda. Mas, é importante ressaltar que a instituição deve manter o controle e registro desses prejuízos até o final do ano seguinte ao resgate. Então, corra que ainda dá tempo!

Se você quiser saber mais sobre como pagar menos imposto de renda, clique aqui para obter ainda mais conhecimento sobre o assunto.

 

Fique atento! Não deixe tudo pra última hora para não ter o perigo de não dar tempo suficiente e deixar de aproveitar esses benefícios! Afinal, já é tão difícil ganhar… Então, ainda que seja um pequeno alívio, que possamos pagar menos em impostos para sobrar sempre mais a cada ano!

 

Exit mobile version