Leticia Camargo

Antecipação da Restituição do Imposto de Renda

Como muita gente já fez a declaração do IR 2022, uma pergunta que pode surgir é: e a antecipação da restituição do imposto de renda? Vale a pena antecipar essa grana?

Pelo fato de eu ser uma planejadora financeira, muitas pessoas acreditam que eu nunca vou sugerir que as pessoas peguem qualquer tipo de empréstimo. Porém esse é mais um dos casos que, dependendo da situação, pode ser, sim, uma boa alternativa pegar o empréstimo no banco, antecipando a restituição.

Tomar um empréstimo sem uma boa motivação não é aconselhável em nenhuma hipótese, mas eis 2 situações em que ele seria até recomendável:

 

Antecipação do Imposto de Renda para pagar dívidas mais caras

Se a pessoa possui dívidas mais caras do que dívida que estará assumindo com a antecipação do IR, é sim recomendável que tome o novo empréstimo para quitar ou antecipar o pagamento do mais antigo e menos vantajoso.

Uma situação corriqueira que pode ser utilizada como exemplo prático aqui é o cheque especial. Normalmente, os bancos cobram bem caro nesse tipo de operação de crédito, o que nos leva a crer que os juros do novo empréstimo seriam menores. Porém, sempre recomendo que a pessoa verifique quais são os juros, tanto do novo, quanto do velho empréstimo, compare o CET, ou seja, o Custo Efetivo Total de cada uma das operações, e decida sempre pelo que for menor.

 

Antecipação do Imposto de Renda para pagar pelos imprevistos

Uma outra situação que pode acontecer com qualquer um e que justifica sim uma antecipação, é a pessoa estar diante de uma despesa imprevista que precisa ser honrada o quanto antes. Um exemplo aqui poderia ser algo relacionado à saúde, como a necessidade de fazer uma cirurgia de emergência.

Apenas é importante registrar que, mesmo que a antecipação do imposto de renda se justifique nesses casos, essa forma de agir está longe de ser a ideal. Para se preparar contra imprevistos, o ideal é que a pessoa forme uma reserva de emergência, poupando seu dinheiro até o montante que se sinta segura. Se assim o fizer, não pagará juros, poderá usufruir de alguma rentabilidade sobre o seu dinheiro e se sentirá muito mais segura e confiante. Se quiser saber mais sobre reserva de emergência, clique aqui.

 

Além das circunstâncias acima, existem outras que justificariam a tomada de um empréstimo. Se quiser saber mais sobre o assunto, leia também o artigo “Devo pegar um empréstimo?” (clique aqui para ler).

 

Alerta importante ao optar pela antecipação do IR

Como eu frisei em um artigo publicado na Inset, existe um ponto que merece especial atenção aqui: o risco de receber uma restituição menor do que a esperada, ou mesmo o risco de não receber restituição nenhuma.

Em casos assim a antecipação do valor por meio das instituições financeiras pode ser um mau negócio, porque o banco vai cobrar o empréstimo e a pessoa pode não ter o valor para quitá-lo, já que contava com a restituição.

Para diminuir o tamanho desse risco, sugiro que a pessoa verifique no Portal eCAC como está o andamento da declaração e recorra à antecipação apenas se o status estiver como “processada”.

Como eu revelei no artigo citado, “se a declaração já estiver processada, realmente minimiza bem a chance de você não ter aquele valor da restituição. Mas se ela ficar retida na malha fina tem a probabilidade de ter algum engano, e a chance de você não ter aquele valor esperado de restituição é bem grande”.

 

Assim sendo, pense bem antes de recorrer à antecipação da restituição do imposto de renda. Tome sempre a decisão que for mais adequada para você.

Exit mobile version