Funcionários sem dívidas, empresa produtiva

77 views
Funcionários sem dívidas, empresa produtiva
Funcionários sem dívidas, empresa produtiva

Os funcionários que não estão com suas contas em dia acabam faltando ao trabalho, ficando mais doentes e consequentemente acabam tendo uma menor produtividade.

Inúmeros estudos, citados em reportagem “Funcionários sem dívidas, empresa produtiva” de Danylo Martins para o Diário do Comércio Online, como o da PricewaterhouseCoopers por exemplo, revelaram que 97% dos profissionais utilizam seu tempo no trabalho para cuidar de suas questões financeiras. Veja também o artigo: Educação Financeira pode aumentar a produtividade nas empresas.

Colaborei para a matéria mencionado que quando um funcionário está endividado, muitas vezes está fisicamente na empresa, mas com sua cabeça nas contas a pagar. Regularmente esse profissional acaba pressionando a empresa por adiantamentos de salário e para o pequeno empresário, isso pode acabar impactando seu fluxo de caixa.

Em primeiro lugar, é preciso que o próprio dono da empresa se interesse por conhecer um pouco de finanças pessoais e aprenda a lidar com o financeiro de seu negócio. Muitas vezes, ele mesmo não sabe como administrar financeiramente o seu businnes e acaba misturando o que é pessoal com as contas da pessoa jurídica.

Tanto programas de educação financeira na empresa, como benefícios corporativos em forma de seguros de vida ou previdência complementar são ótimas ações a ser tomadas para melhorar a qualidade de vida dos colaboradores.

Algumas empresas podem identificar um profissional internamente que possa se responsabilizar por este programa de educação financeira, ou então, caso não seja possível, também existe a possibilidade de contratar um especialista de fora.

O desafio é fazer com que estas despesas caibam no orçamento das empresas. Mas, dependendo do impacto na produtividade, estes gastos podem até ser benvindos!

De uma forma ou de outra, é sempre importante medir os resultados: se a produtividade aumentou, se diminuiu a procura por crédito consignado ou adiantamentos e se houve maiores aportes na previdência.

Leia aqui a matéria na íntegra:

 

 

Imagem cortesia de renjith krishnan em FreeDigitalPhotos.net