Evitando as dívidas

92 views
Evitando as dívidas
Evitando as dívidas

Se você pretende estar em dia com sua saúde financeira, a primeira coisa a fazer é procurar sair das dívidas e gastar no máximo o que ganha, ou seja,  alcançar o equilíbrio financeiro.

Para isso, é preciso muito planejamento e disciplina, independente do nível de sua renda. Não é necessário ser milionário para poder estar em equilíbrio com suas finanças, basta viver de acordo com a sua renda.

Para conseguir livrar-se da enrolação de suas finanças, a pessoa tem que querer realmente mudar, pois serão necessários vários sacrifícios no princípio. É como iniciar uma dieta ou parar de fumar: no começo é sempre mais difícil, mas aos poucos a pessoa vai percebendo as vantagens de estar mais saudável e acaba se animando. Com o passar do tempo, o novo comportamento já se tornou um hábito e tudo fica mais fácil.

 

Fuja das altas taxas de juros

Se você estiver no vermelho, fuja o quanto antes das dívidas do cheque especial e do cartão de crédito, pois são as que cobram os juros mais altos. Cubra o valor do cheque especial e quite o total da sua fatura urgentemente. Uma outra possibilidade, caso esteja em atraso no cartão de crédito, é contratar o parcelamento deste valor com sua administradora. Se for preciso um reforço de caixa para fechar as contas do final do mês, sugiro que você procure no seu banco uma outra linha de crédito com taxas mais baixas, como o consignado ou o empréstimo pessoal.

Informe-se sobre o seu saldo devedor, aquele que seria necessário para quitar suas dívidas e quando sobrar um dinheirinho extra, comece a saldar aquelas dívidas que tiverem os CETs* mais altos. Faça um esforço para melhorar o perfil de suas dívidas. A conversa pode ser no próprio banco em que você já possui conta ou nos concorrentes, sempre buscando alternativas para renegociar as dívidas com taxas mais altas, trocando-as por outras com juros mais baixos e prazos mais longos.

*Para escolher a melhor taxa, sempre verifique o custo efetivo total (CET). Nesse percentual estão incluídos, além dos juros propriamente ditos, todas as taxas administrativas e impostos inerentes ao empréstimo também.

 

Consuma de forma consciente

Evite as compras por impulso. Antes de comprar, faça a si mesmo estas 3 perguntas: Preciso mesmo disso? Posso esperar para comprar depois? Tenho dinheiro para pagar?

Aprenda a distinguir a diferença entre os desejos (que podem ser adiados) e as necessidades (que não podem ser evitadas).

Procure não ter mais do que dois cartões de crédito, já que os limites de crédito se multiplicam e isto pode acarretar uma maior tentação para as compras. A sugestão é ter no máximo dois cartões, de bandeiras diferentes e com datas de vencimento com 15 dias de diferença entre eles.

 

Viva dentro de suas possibilidades

Se você não consegue controlar seus impulsos e não para de consumir, será necessário aprender a viver dentro de suas possibilidades, ou seja, adaptar a sua vida (nível de consumo) ao seu salário, evitando os novos financiamentos. É importante ajustar seus gastos para que sua vida caiba no seu orçamento.

Enquanto estiver endividado, os pequenos luxos devem ser evitados até que a situação se normalize. O que deve ditar o limite do consumo é a restrição de sua renda e não simplesmente o quanto que  você deseja consumir.