Como funcionam os investimentos financeiros na prática?

145 views

Você sabe o que há por trás dos investimentos financeiros? Qual é o caminho que o seu dinheiro percorre quando você decide investir? Como funcionam os investimentos financeiros?

Estas perguntas podem parecer bem simples, mas saber estas respostas pode ajudá-lo a escolher os investimentos mais adequados para você.

Minha intenção aqui é explicar como funcionam os investimentos financeiro na prática. Qual o caminho que faz o seu dinheiro desde que sai da sua conta até o retorno no resgate da aplicação.

Vamos entender porque…

 

Investimentos financeiros: o caminho do dinheiro

Quando invisto em renda fixa, na prática estou emprestando o meu dinheiro para o Governo, para empresas ou para os bancos. Eles irão utilizar este dinheiro, investindo em novas fábricas, no caso das empresas; ou em escolas, no caso do Governo , por exemplo. Depois de um determinado prazo nos devolverão o montante emprestado com juros como remuneração pelo empréstimo.

Por exemplo, quando eu empresto o meu dinheiro para o banco, ele emite um CDB (Certificado de Depósito Bancário) em troca. Esse CDB nada mais é do que um título que representa o empréstimo que fiz para o banco.

Quando eu aplico nesse CDB, combino com o banco um prazo e uma taxa de juros que ele vai me pagar por eu estar emprestando este montante para ele. Em outras palavras, é como se ele estivesse me pagando um aluguel por estar usando um dinheiro que não é dele. Normalmente, os juros que serão pagos pelo CDB são um percentual do CDI (Certificado de Depósito Interbancário), por exemplo, 95% do CDI, 98% do CDI e assim por diante…

Depois que o banco pega o meu dinheiro emprestado, ele vai emprestar esse valor para alguém que esteja precisando e vai cobrar uma taxa maior do que aquela que combinou comigo. Essa diferença nas taxas de juros vai ser a remuneração pelo serviço de intermediação que o banco receberá. Essa remuneração também é chamada de spread bancário.

Da mesma forma que emprestei para o banco, também poderia emprestar para uma empresa, e neste caso, o título se chamaria debênture, ou então emprestar para o Governo, comprando um título público.

Outra questão importante de se compreender a respeito dos investimentos financeiros é que quanto maior for o risco de não ter meu dinheiro de volta, maior será a taxa de juros que eu deveria receber como remuneração por esse empréstimo. Esses juros mais altos servem justamente para cobrir o maior risco de crédito, ou seja, o risco de o emissor do título quebrar e não conseguir pagar o que me deve.

Foi exatamente o que ocorreu recentemente com a Oi, uma das maiores empresas de telecomunicação do Brasil, que entrou em processo de recuperação judicial. Se você quiser saber mais sobre este caso, recomendo que você clique aqui para ler o artigo em que escrevi sobre a recuperação judicial da Oi e as consequências para os investidores de seus títulos.

Nesse momento, talvez você esteja se perguntando: mas e se for um investimento em renda variável?

Então… quando invisto o meu dinheiro em renda variável, não há nenhum tipo de acordo em relação ao retorno do investimento. Eu compro um ativo por determinado preço e vendo por outro e o retorno pode ser positivo ou negativo, dependendo da diferença entre o preço de venda e o de compra.

Por exemplo: quando compro uma ação na bolsa, pago um determinado preço. Vamos imaginar que eu pague R$ 9,00 por uma ação. Se eu vender esta mesma ação por R$ 11,00, tive um retorno de 22%, mas se a venda for por R$ 8,00, tive um prejuízo de 11%. Portanto, assim que eu calculo o rendimento do meu investimento em renda variável…

Além do rendimento pela diferença dos preços de compra e venda, posso também receber dividendos da empresa, fruto da distribuição dos lucros, já que quando eu compro uma ação, eu viro sócia da empresa, e passo a deter uma pequena fração dela.

Outro ponto interessante de se entender sobre as ações é que quando eu as compro na bolsa, estou comprando de uma outra pessoa e quem vai receber o dinheiro será essa pessoa de quem eu comprei o papel. Por outro lado, quando compro uma ação em uma oferta pública de ações, se for uma oferta primária, quem vai receber o dinheiro é a empresa, que está aumentando o seu capital. E, se for uma oferta secundária de ações, estarei comprando as ações de um outro acionista relevante da empresa e o dinheiro da venda não vai para a empresa, vai para ele.

 

Investimentos financeiros em um fundo

Um fundo de investimento não é um investimento em si, ele é um veículo de investimento. Portanto, posso investir em fundos de investimento que terão títulos de renda fixa em suas carteiras ou também em fundos que terão ações em suas carteiras. (Existem ainda outras classes de fundos de investimento, mas que não vamos focar aqui…. ). Investir por meio de um fundo costuma ser um investimento coletivo, ou seja, normalmente eu não estou investindo sozinho. Pode ocorrer de ter milhares de outros cotistas investindo junto comigo.

Quando eu aplico o meu dinheiro em um fundo, eu compro cotas deste fundo e passo a deter um percentual dele. O meu dinheiro vai se juntar ao dinheiro dos outros cotistas e todos juntos vamos ser donos da carteira daquele fundo, cada um com o seu percentual, proporcional ao valor investido.

Eu não posso escolher os ativos que estarão dentro do fundo, porque esta é uma atribuição do gestor. É por isso que o fundo cobra uma taxa de administração, que é para remunerar o gestor pelo seu trabalho de escolha dos ativos que vão formar a carteira do fundo.

Então, como acontece o fluxo do dinheiro? Vamos imaginar que eu e alguns amigos resolvemos investir em um fundo de renda fixa. Neste caso, o gestor vai escolher quais títulos comprar para a carteira deste fundo, vai escolher se compra títulos de uma empresa, do Governo ou de um banco, qual prazo dos títulos prefere comprar e até se os títulos serão prefixados ou pós-fixados. É claro que o gestor não pode fazer o que bem entender na carteira do fundo, ele deve seguir o regulamento desse fundo que pode impor algumas restrições às suas escolhas. Por isso, é importante que você leia o regulamento do fundo antes de decidir investir.

Na maioria dos fundos, quando eu quero receber meu dinheiro de volta, solicito um resgate e o dinheiro é devolvido na minha conta corrente no mesmo dia. (Outros fundos têm um prazo maior para resgate, um dia, 30 dias ou até 90 dias, por exemplo).

E o que acontece dentro do fundo? Quando o gestor fica sabendo que tem um pedido de resgate, ele vende algum título do fundo, então o fundo recebe o dinheiro desta venda e efetua o pagamento para a minha conta. Simples, não é?

Se você quiser saber mais sobre o funcionamento dos fundos de investimento, clique aqui para ler este meu artigo sobre o assunto. Por outro lado, se quiser saber como funciona a tributação destes investimento, clique aqui para ler este outro artigo que escrevi sobre tributação.

 

Agora que você compreendeu como funcionam os investimentos financeiros na prática, aproveite o seu conhecimento para escolher os produtos mais adequados para você. Boa sorte e bons investimentos!